Trazemos-lhe neste artigo a primeira de uma série de entrevistas mensais para a recém-criada rubrica “Dentro da carteira de” que iremos passar a publicar e nas quais falamos com um/a especialista ou entusiasta da área das Finanças Pessoais. Convidamo-lo a conhecer melhor a Mariline Pinto, autora do blog Contas à vida 360, a saber de onde vem a sua paixão pelas finanças pessoais e o que a levou a criar o seu mais recente projecto.

Quem é a Mariline Pinto?

Antes de passarmos à entrevista, deixamos que a nossa primeira entrevistada se apresente. 🙂

Chamo-me Mariline, sou Barreirense de gema, mãe, filha, irmã e mulher. Licenciada em Gestão, Blogger, Formadora, aspirante a Contabilista Certificada e apaixonada pela área de Educação Financeira e Finanças Pessoais.
Como grande parte dos portugueses, depois de sair da casa dos pais e sem grandes bases, repente vi-me rodeada de despesas que não sabia gerir. Apercebi-me que não sabia nada sobre como me organizar financeiramente.
Ao procurar conhecimento em todas as vertentes que encontrei apaixonei-me pelo tema.
Acredito genuinamente que a Educação Financeira é necessária nas escolas e deve ser procurada por quem, não tendo essa oportunidade, precise de saber mais. Por isso criei o blog Contas à vida 360º. O meu sonho é levar informação simples e dar ferramentas práticas de gestão ao maior número possível de portugueses.

Nome, profissão?

Sou a Mariline Pinto, Licenciada em Gestão, Blogger, formadora e aspirante a Contabilista Certificada.

Fala-nos um pouco acerca do teu novo projeto, o blog.

O Contas à Vida 360º ainda é um “bebé blog” mas tem sido uma experiência incrível.
Como grande parte dos portugueses, depois de sair da casa dos pais e sem grandes bases, de repente vi-me rodeada de despesas que não sabia gerir. Depois do nascimento da minha filha em simultâneo com desemprego repentino do meu companheiro vi-me numa situação de endividamento. Apercebi-me que não sabia nada sobre como me organizar financeiramente (logo eu que sempre fui tão organizada!). Nunca aprendi na escola e nunca ninguém me ensinou mas partir dai fui procurar conhecimento em todas as vertentes que encontrei e apaixonei-me pelo tema.
Depois de muito aprender, lutar e dar a volta à minha situação apercebi-me que não era a única, e que se minha experiência servisse para evitar que alguém cometesse os mesmos erros que eu já o blog teria cumprido o seu objetivo.

“Como grande parte dos portugueses, depois de sair da casa dos pais e sem grandes bases, de repente vi-me rodeada de despesas que não sabia gerir. Depois do nascimento da minha filha em simultâneo com desemprego repentino do meu companheiro vi-me numa situação de endividamento. Apercebi-me que não sabia nada sobre como me organizar financeiramente.”

O que te levou a criar um blog sobre finanças pessoais?

O Contas à vida 360º tem como objetivo demonstrar a importância da gestão pessoal e das práticas de planeamento financeiro individual e familiar bem como fornecer ferramentas úteis para a gestão das finanças pessoais e de apoio às decisões financeiras inerentes a diferentes etapas da vida. O meu sonho é levar informação simples e dar ferramentas práticas de gestão familiar ao maior número possível de portugueses.

Fazes algum controlo de custos ou planeamento mensal do teu dinheiro? Como?

Sim Sempre. Ainda sou muito ligada ao papel, ando com a minha agenda de um lado para o outro. Vou apontando tudo. Mais ou menos uma vez por semana sento-me e atualizo o meu Boonzi

Para onde vai a maioria do teu orçamento mensal? Qual é a tua maior despesa mensal? Tens uma ideia do valor?

Já me vi numa situação com diversas prestações bancárias que me levavam grande parte do meu orçamento familiar. Já consegui o que para mim foi um grande objetivo cumprido: reduzir para apenas o crédito de casa e carro. Neste momento, a prestação mais alta que tenho e que pretendo reduzir/eliminar o mais rapidamente possível é a da prestação do carro.

“O Contas à vida 360º tem como objetivo demonstrar a importância da gestão pessoal e das práticas de planeamento financeiro individual e familiar bem como fornecer ferramentas úteis para a gestão das finanças pessoais e de apoio às decisões financeiras inerentes a diferentes etapas da vida. O meu sonho é levar informação simples e dar ferramentas práticas de gestão familiar ao maior número possível de portugueses.”

Se encontrasses uma nota de 500€ o que fazias com o dinheiro?

Essa é fácil, iria diretamente para ajudar a estabelecer o meu fundo de emergência. Desafiei-me a mim própria com o #desafiopoupandomil em juntar cerca de 1000€ até Maio para constituir o meu fundo de emergência nível 1. Com essa nota já era metade do objetivo cumprido 

Qual foi o melhor investimento que já fizeste?

Até ao momento, e isto porque estou agora a aprofundar os meus conhecimentos para aprender a verdadeiramente investir, o meu melhor investimento foi a compra da minha casa. Isto porque comprei quando ainda o mercado era mesmo bom para comprar e tornei-a num ativo alugando-a.

Queres partilhar uma dica de poupança?

A minha melhor dica de poupança é a Educação Financeira. Procurem sempre informação seja para qualquer decisão financeira que tomem. Nunca comprem nada sem ponderar primeiro, sem saber os prós e os contras e sem sentirem verdadeiramente que necessitem disso. Não se deixem levar por modas, por aparências nem por necessidade de auto-afirmação. Vergonha não é não saber, mas sim agir por impulso nas maiores decisões da vida e usarem a ignorância como desculpa pelos erros.

O dinheiro para ti é…?

Para mim o dinheiro é um meio para atingir a estabilidade e a independência Financeira. O dinheiro não tem que ser visto de uma forma negativa, para ser esbanjado pelos ricos e invejado pelos pobres. É importante encarar o dinheiro como uma recompensa, uma forma de nos dar estabilidade mas não é vergonha. Não é vergonha nem ter nem não ter mais dinheiro. Vergonha invejar o sucesso dos outros quando não se faz nada para mudar a nossa própria vida.

“A minha melhor dica de poupança é a Educação Financeira. Procurem sempre informação seja para qualquer decisão financeira que tomem. Nunca comprem nada sem ponderar primeiro, sem saber os prós e os contras e sem sentirem verdadeiramente que necessitem disso. Não se deixem levar por modas, por aparências nem por necessidade de auto-afirmação.”

Qual é o teu pecado? De que não consegues abdicar para poupar?

Bem, para ser verdadeiramente honesta, nestes últimos anos e nos anos que em mais dificuldade me encontrei, a única coisa que eu realmente não consegui abdicar e que poderia ser considerado “pecado” porque dizia única e exclusivamente respeito a mim, foi dos meus estudos. Mesmo com o orçamento muito apertado, com uma filha pequena e apesar de todas as dificuldades que passamos par que nada lhe faltasse, o meu sonho em tirar uma Licenciatura, formar-me e trabalhar numa área que me apaixona nunca ficou totalmente esquecido. Pode ter demorado mas consegui alcança-lo. Ter uma família e um companheiro que sempre acreditou em mim e nunca me deixou desistir foram essenciais. De resto, todo o tipo de bens para mim são perfeitamente abdicáveis a determinadas alturas da vida.

Que extravagância farias se te saísse o Euromilhões?

Bem… dependendo do valor em si do Euromillhões… e isto exatamente por esta ordem iria instintivamente assegurar a segurança financeira futura da minha família, investir o dinheiro de uma forma consciente para que o mesmo não desaparecesse rápido (nem que para isso contrata-se ajuda profissional) e finalmente retirar uma (pequena) parte sim para as extravagâncias de viajar, renovar o guarda-roupa, mimar a mim e à família.

Não deixe de acompanhar o trabalho Da Mariline no blog Contas à vida 360º e siga-a nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram. 🙂