Poupança

Preparar as férias para ganhar, poupar e investir o teu primeiro dinheiro

Está a pensar utilizar o período de férias para ganhar o seu primeiro rendimento? Saiba como gerir, poupar e investir o seu dinheiro.

Poupança

Preparar as férias para ganhar, poupar e investir o teu primeiro dinheiro

Está a pensar utilizar o período de férias para ganhar o seu primeiro rendimento? Saiba como gerir, poupar e investir o seu dinheiro.

O período de férias escolares serve para descansar dos estudos, para ir à praia, a festas e concertos, passear e estar com os amigos. Mas além de todos estes momentos de lazer, as férias são uma excelente oportunidade para ganhar, poupar e investir dinheiro para alcançar outros objetivos.

Afinal, com o primeiro dinheiro que se ganha de um trabalho podemos criar uma poupança que nos permitirá concretizar certos sonhos, como a compra de um veículo, estudar no estrangeiro ou até juntar dinheiro para a primeira casa.

Na verdade, se começarmos a planear o futuro e a definir metas financeiras para alcançar os nossos principais objetivos, a probabilidade de conseguirmos o que pretendemos é bem mais elevada.

Por isso, se quer saber como rentabilizar o seu tempo de férias e os cuidados que deve ter com o primeiro dinheiro que ganhar, de seguida deixamos algumas dicas que o podem ajudar.

Como rentabilizar o tempo de férias de forma produtiva?

Se pretende aproveitar o seu tempo de férias de forma produtiva, saiba que existem várias formas de o fazer. Embora o lazer seja fundamental em qualquer idade e como é obvio deva existir, numa fase da vida em que ainda estudamos os períodos de férias são mais longos. E, por isso, caso esteja a pensar em formas de rentabilizar o tempo das suas férias, existem alguns pontos a considerar.

O primeiro é: pretende ganhar dinheiro nesse período? Se sim, terá de informar-se se reúne as condições legais para desempenhar um trabalho enquanto menor de idade e com alguma antecedência começar a procurar vagas de emprego. Não se esqueça que na maioria dos trabalhos há um processo de seleção que se divide em várias fases. E isto significa que terá de ir a algumas entrevistas de emprego até começar a trabalhar efetivamente.

Mas se o seu objetivo não passa por obter um rendimento e sim adquirir novos conhecimentos ou experiências, o leque de opções aumenta. Por exemplo, há empresas que no verão, entre os meses de junho e setembro, abrem programas de estágios para jovens.

Algumas grandes empresas e multinacionais lançam bolsas de estágio. Se esta opção é atrativa para si, o melhor é consultar os sites deste tipo de empresas (Sonae, Galp, etc.) ou estar atento a sites como o estagiar.pt.

Outra das opções que poderá estudar é fazer voluntariado em Portugal ou no estrangeiro. As ações de voluntariado são benéficas para o crescimento pessoal, social e profissional, como também são uma mais-valia se pretender enriquecer o seu currículo.

Leia ainda: Porque é importante incluir ações de voluntariado no seu curriculum

O que posso fazer para ganhar o meu primeiro dinheiro?

Se está a pensar optar por um rendimento extra através de um emprego de verão, é normal que nesta fase se questione sobre o tipo de trabalhos que existem para jovens estudantes sem experiência profissional. Caso ache que as suas opções são muito limitadas, fique a saber que o cenário pode ser um pouco diferente do que imagina.

Na verdade, dependendo das suas preferências e das vagas de emprego disponíveis todos os anos, por norma, poderá encontrar um trabalho nas férias de verão nas seguintes áreas:

Restauração e hotelaria

Esta é uma das áreas em que costuma ser mais fácil encontrar um trabalho nas férias de verão. Afinal, o verão atrai mais turistas. E em certas zonas as empresas de restauração e hotelaria abrem inúmeras vagas de trabalho temporário para reforçar a equipa de colaboradores nestes períodos. Ou seja, poderá encontrar emprego em cafés, pastelarias, restaurantes e em hotéis. As funções podem ser diversas consoante as necessidades de cada empresa. Mas, por norma, o trabalho de balcão e serviço de mesas é aquele em que existem mais ofertas.

Comércio

Tal como acontece com a restauração, o comércio também costuma abrir vagas para trabalho temporário no verão. Em alguns pontos do país esta necessidade também está ligada ao turismo. Mas muitas vezes esta é uma necessidade que surge para cobrir as férias dos colaboradores das empresas. Nesta área poderá encontrar trabalho em lojas, supermercados, armazéns, etc.

Campos de férias

Para quem gosta de lidar com crianças e tem um bom sentido de responsabilidade, os campos de férias costumam abrir vagas de monitores no período do verão. Estes campos de férias podem estar associados às juntas de freguesia, mas também a empresas privadas. No fundo, a função passa por dinamizar as atividades com as crianças e supervisioná-las. Existem sites específicos onde pode encontrar vagas de emprego nesta área, como o My Camp, Campo Jovem ou até no Portal da Juventude.

Trabalho sazonal na agricultura

Se mora numa região onde existem várias empresas agrícolas, é bem provável que na altura do verão possa encontrar um trabalho sazonal na agricultura. Afinal, existem frutas e legumes de época, e a sua apanha requer um reforço de pessoal ou a contratação de pessoas para essa função específica.

Alguns jovens que vão de férias para outras zonas de Portugal ou para o estrangeiro, aproveitam para ter um rendimento extra, durante uns dias, neste tipo de função e depois prosseguem com as suas férias em modo de lazer.

Outros trabalhos de verão onde pode ganhar o seu primeiro dinheiro

Também existem outros trabalhos de verão muito comuns entre os jovens, como por exemplo, desempenhar funções de nadador salvador, promotor de eventos ou de produtos ou até ser estafeta (se tiver carta de condução de mota - AM ou A1).

A partir de que idade posso trabalhar?

Segundo o Código do Trabalho, mais concretamente com base no artigo 68.º a idade mínima para prestar um trabalho é de 16 anos. No entanto, mesmo não tendo de ser maior de idade, vai precisar de ter concluído a escolaridade obrigatória ou estar matriculado no ensino secundário. Além disso, as empresas só podem aceitar trabalhadores com 16 anos que estejam aptos fisicamente e psicologicamente para desempenhar funções nesse posto de trabalho.

Contudo, existem duas exceções na lei que permitem prestar trabalho com menos de 16 anos. Segundo o ponto 3 do artigo 68.º do CT "o menor com idade inferior a 16 anos que tenha concluído a escolaridade obrigatória pode prestar trabalhos leves que consistam em tarefas simples e definidas que, pela sua natureza, pelos esforços físicos ou mentais exigidos ou pelas condições específicas em que são realizadas, não sejam suscetíveis de o prejudicar no que respeita à integridade física, segurança e saúde, assiduidade escolar, participação em programas de orientação ou de formação, capacidade para beneficiar da instrução ministrada, ou ainda ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral, intelectual e cultural".

Ou seja, com menos de 16 anos poderá apenas realizar funções simples e sem risco, desde que tenha concluído a escolaridade obrigatória. Já se o objetivo for trabalhar num negócio de família, saiba que também o poderá fazer com menos de 16 anos. Contudo, terá de trabalhar sob vigilância e direção de um membro do seu agregado familiar maior de idade.

Leia ainda: Pode um menor de idade ganhar dinheiro?

Como devo gerir o meu primeiro dinheiro?

Na realidade, a gestão do seu primeiro dinheiro deve ser feita de acordo com os seus objetivos. Existem jovens que vão trabalhar no verão apenas para ter mais dinheiro na carteira para gastar nas férias. Embora esta não seja uma decisão estratégica para rentabilizar o seu dinheiro, ela cumpre um propósito específico. Mas mesmo nestas situações é aconselhável gerir o seu dinheiro de acordo com as suas prioridades.

Contudo, em termos financeiros, quando ganha o seu primeiro dinheiro deve ter uma visão mais alargada. Afinal, se apenas trabalhar no verão, esta é a única altura do ano que terá acesso a um dinheiro extra à sua mesada, caso receba a mesma.

E se tem objetivos que quer alcançar futuramente, este rendimento extra pode ser essencial para concretizar essas metas. Assim, se tiver esta visão e objetivos, precisa de aprender a gerir bem o seu dinheiro. O primeiro passo para gerir bem o seu dinheiro é fazer o seu orçamento familiar.

E o que é que isto significa? Que terá de fazer um documento que contempla os seus rendimentos e as suas despesas. Hoje em dia existem aplicações que o ajudam a gerir melhor o seu dinheiro, como o Boonzi, Spending Tracker, Toshl Finance, Money Wise, entre muitas outras.

No fundo, se souber os seus rendimentos e as suas despesas, poderá antecipadamente identificar se os seus ganhos cobrem todas as suas despesas e quanto dinheiro irá sobrar no fim do mês. Além disso, se as suas decisões forem tomadas com base neste orçamento, as probabilidades de gastar mais do que deve diminuem.

No entanto, se pretende poupar para alcançar os seus objetivos, esta solução não chega. Vai precisar de definir uma estratégia de poupança que lhe permita juntar o montante que colocou para cada meta.

Como criar uma poupança com o meu primeiro dinheiro?

Em termos financeiros, existem várias técnicas de poupança que permitem gerir o seu dinheiro de acordo com os seus objetivos. Uma das técnicas que pode experimentar é o método "Spend, Save, Share", que em português significa, "Gastar, Poupar, Ajudar". No fundo esta técnica não só facilita a gestão diária do seu primeiro dinheiro, como cria uma necessidade de poupança, despertando ainda o seu lado solidário.

E como é que este método funciona na prática? Através de técnica dos três mealheiros, que é no fundo é uma divisão do seu primeiro dinheiro em três partes, de acordo com os objetivos: gastar, poupar e ajudar. Ou seja, isto significa que terá três "mealheiros". Mas estes mealheiros não têm de ser físicos. Pode utilizar contas bancárias jovens, onde não paga comissões mensais.

Agora, se está a pensar quanto é que terá de colocar em cada mealheiro, saiba que este método funciona através da regra dos 50-40-10. Isto significa que 50% do dinheiro será usado para pagar as suas despesas (gastar), 40% deve ser aplicado numa poupança, e 10% devem ser direcionados para causas solidárias ou para ajudar outras pessoas. 

Numa conta simples, se tivesse 1000 euros, 500 euros seriam para pagar despesas, 400 euros para poupar e 100 euros para ajudar quem mais precisa.

Mas se esta técnica não resultar consigo, poderá experimentar outras técnicas de poupança. O mais importante é que todos os meses defina um valor para poupar. Assim, quando recebe o seu dinheiro (e não no fim do mês) deve reencaminhar esse valor para uma conta poupança.

Leia ainda: Guia para ajudar o seu filho a construir uma poupança

Um exemplo de poupança para uma meta financeira a curto prazo

Imagine que pretende juntar um valor menor para tirar a carta de condução, e identificou que precisa de poupar 600 euros. Se trabalhar durante 3 meses a receber o salário mínimo (em 2022 o valor é de 705 euros) teria de juntar mensalmente 200 euros para alcançar este objetivo.

Contudo, tenha atenção que os 705 euros dizem respeito ao seu salário antes dos impostos (salário bruto). Na sua conta bancária apenas será depositado o ordenado líquido.

Dado que nesta situação estaria isento de retenção na fonte para o IRS, apenas seriam descontados os 11% para a Segurança Social. Ou seja, se não tivermos em conta o valor do subsídio de refeição, receberia na sua conta 627,45€.

Caso pretenda calcular o seu salário líquido para definir metas de poupança concretas, pode usar o simulador de salário líquido 2022.

Este é um caso que requer uma poupança de quase um terço do salário. No entanto, o seu objetivo seria rapidamente atingido e ainda ficariam 427,45€ (627,45€-200€) para pagar as suas despesas. A este valor ainda poderá retirar uma quantia para causas solidárias ou até para investimentos.

Lembre-se que este é um exemplo de poupança para uma meta financeira a curto prazo e apenas com o rendimento de 3 meses de trabalho. Numa poupança a longo prazo é necessário fazer reforços regularmente para alcançar o seu objetivo. Quanto maior for o valor da sua meta financeira, poderá ter de definir um valor mais elevado para poupar ou estender o prazo da poupança por vários meses ou anos.

Independentemente do valor ou do tempo que levará a alcançar o seu objetivo, o mais importante é que crie o hábito de poupar mensalmente.

Leia ainda: Como poupar dinheiro da adolescência

Vale a pena investir o meu dinheiro nesta idade?

Tudo depende dos seus objetivos financeiros e do risco que está disposto a correr para rentabilizar o seu dinheiro. Quando falamos de investimentos, estamos a falar na possibilidade de maximizar o seu dinheiro, mas também na de perdê-lo.

Existem investimentos de vários tipos, mas no que diz respeito a produtos financeiros, há aqueles que acarretam mais e menos riscos. Na maioria dos casos, quanto menor é o risco, menos é o retorno financeiro. Já se o risco é maior, as taxas de juro são mais atrativas, o que pode traduzir-se num retorno mais expressivo.

Por exemplo, investimentos em ações, criptomoedas, entre outro tipo de investimentos, implicam um investimento de risco elevado. Já o investimento em produtos como Planos de Poupança Reforma (PPR), Certificados de Aforro ou do Tesouro, têm um risco menor comparativamente aos primeiros investimentos referidos.

No entanto, deve ter atenção se o investimento que pretende fazer tem ou não capital garantido. Caso não tenha, existe sempre o risco de perder o valor que investiu.

Além disso, antes de fazer qualquer tipo de investimento deve olhar bem para o valor que pagará de comissões para ver se mesmo com retorno este investimento compensa. Por fim, tenha atenção que todos os investimentos devem ser feitos de acordo com o seu perfil de investidor. Contudo, saiba que existem investimentos que só poderá fazer após atingir a maioridade.

Só depois de ponderar bem todos estes fatores e informar-se bem sobre os produtos que pretende investir é que poderá concluir se investir o seu dinheiro nesta idade é ou não uma decisão certa. Claro que quanto mais cedo começar a investir, mais probabilidade tem de gerar um valor mais elevado no mundo dos investimentos. Por isso, se tem este objetivo em mente, invista em formação sobre este tema, para que domine melhor esta área e não corra riscos desnecessários. 

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.