Poupança

Como escolher a sua conta à ordem?

Pedro Pais Pedro Pais , 16 Fevereiro 2018 | 7 Comentários
Devem ser poucas as pessoas que ainda não têm uma conta à ordem. É comum termos uma ou várias contas para as nossas várias necessidades. Mas como escolher a melhor conta para si?

1º Passo – Perceber as suas necessidades

As contas bancárias não são todas iguais. Os bancos não são todos iguais. Há bancos que apostam mais nas transações do dia-a-dia. Há outros bancos que focam a sua atividade em produtos de poupança ou de investimento. Assim, para escolher a sua conta bancária deverá perceber quais as suas reais necessidades. Poderá considerar:
  • Transações no dia-a-dia;
  • Transferências bancárias;
  • Facilidade de descoberto bancário;
  • Remuneração do seu dinheiro (tanto na conta à ordem como nos depósitos a prazo).
Perceber para que precisa de uma conta bancária é o passo essencial para que possa iniciar a sua pesquisa. Se não sabemos o que procurar é normal que não encontremos o que precisamos realmente. Certo?

2º Passo – Pesquisar o mercado

Depois de saber o que precisa de procurar deverá começar a sua pesquisa. Toda a informação de que necessita está disponível na internet, seja nos sites dos bancos seja em portais de literacia financeira ou em comparadores de contas bancárias. Para facilitar o seu esforço, sugerimos que tenha em atenção diferentes tipos de bancos:
  • Banca tradicional – Bancos que privilegiam a relação bancária com recurso a balcões e a gestores de conta. Estes bancos têm estruturas de custos mais pesadas pelo que necessitam de ter um esforço comercial mais ativo e a cobrança de comissões mais elevadas;
  • Banca Online – Bancos que desenvolvem a sua relação com os clientes com especial foco nos canais digitais. Não têm balcões (ou têm um reduzido número) e têm uma estrutura mas assente nas tecnologias pelo que poderão ser mais agressivos quer em termos de custos quer no que diz respeito à remuneração das suas aplicações financeiras.
  • Supermercados de Fundos – Um tipo muito específico de bancos que tem uma oferta mais voltada para os produtos de investimento com grande destaque para fundos de investimento. Estes bancos têm também a oferta de contas bancárias para o dia-a-dia.

3º Passo – Vencer a inércia

Mudar de banco costuma ter associado um conjunto de burocracias e muita papelada. Tenha em atenção que este controlo é uma imposição do Banco de Portugal e que visa combater o branqueamento de capitais e o combate ao terrorismo. É certo que os processos de abertura estão cada vez mais ágeis, estando já disponível a abertura de contas à distância (por vídeo conferência por exemplo).Para mudar de banco e começar a poupar dinheiro em comissões e a rentabilizar as suas poupanças é preciso passar por estas burocracias. Pense sempre que se ocupar 20 minutos no processo e que se com isso poupar €5 por mês, está a ter uma boa remuneração do seu tempo. Dá trabalho mas o esforço é compensado todos os meses.Depois de escolher o melhor banco para as suas necessidades e depois de perceber que a oferta atual pode privilegiar a poupança de comissões estará melhor preparado para poupar dinheiro todos os meses. Basta alguma reflexão e pesquisa para poder mudar de banco para um banco que o valoriza.
Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #conta à ordem,
  • #poupança

Deixar uma resposta

11 comentários em “Como escolher a sua conta à ordem?

  1. Infelizmente é uma realidade, poupanças de anos e anos, e além das taxas andarem nos 0,6% e ainda e ainda por cima ilíquido, com resultados brutais dos bancos de lucros astronómicos. Absurdamente que não, e basta.!

  2. O facto de as taxas de juro serem baixas não justifica, por si só, que os resultados da banca (principalmente a banca privada) sejam compensados pelo crescimento (e até existência) injustificado das comissões impostas aos Clientes. A banca comercial, na sua génese, tem por missão captar poupanças dos depositantes e, com elas, aplicá-las correctamente em actividades que gerem os lucros expectáveis para o seu funcionamento. Quando essa missão falhar, como actualmente se verifica, só resta ao Cliente voltar ao ‘antigamente’ e guardar o dinheiro sob o colchão… (quando este movimento se generalizar, a banca ‘acordará’…Carlos Neto

  3. Somente para acrescentar o seguinte: As economias que faço ao longo do ano, é superior às taxas que o o banco oferece. Pode parecer ridículo, mas os bancos continuam a arrecadar lucros “fabulásticos” à nossa conta. Por isso das minhas poupanças, está a descoberto até ver com pairam as modas.

    1. O banco que todas as pessoas consideravam ser o mais sólido acabou no banco mau.
      Apenas pode confiar no Fundo Garantia de Depósitos que abrange esse banco sem balcões e apenas um escritório. Agora a confiança no fundo de garantia cada um avalia por si.