Vida e família

Domótica: conheça esta tendência das casas do futuro

A domótica é uma tendência para as casas do futuro. Saiba neste artigo o que é esta nova indústria e se vale a pena investir em aparelhos para a sua casa.

Rui Aspas Rui Aspas , 27 Janeiro 2020

O futuro bate sempre à porta das famílias portuguesas todos os dias e por vezes até traz boas novidades quando o tema trata de poupança: de tempo e de dinheiro. 

Na maior parte das vezes esse futuro vem acompanhado de inovações tecnológicas, automatismos ou avanços no campo do Digital, sempre com o propósito de facilitar a vida às famílias nas mais diversas vertentes.

O que é a domótica?

Este termo, domótica, resulta da junção ou fusão de duas palavras distintas: "domus", que significa "casa" em latim e "robótica", para processos de automatização.

A domótica afirma-se neste sentido como uma autêntica revolução na forma de facilitar os processos do quotidiano dos agregados familiares com especial incidência para as questões relacionadas com o setor da habitação.

Neste campo, a domótica trabalha essencialmente a possibilidade de colocar uma casa sob o comando de um computador, controlado muitas vezes de forma remota, pelos proprietários, como forma de delegar as tarefas até então efetuadas por eles, com o intuito de com isso pouparem mais tempo e dinheiro na execução dessas mesmas tarefas. 

No fundo, é atribuir o papel que até então estava destinado às pessoas e passá-lo para as máquinas e mecanismos , dotados de inteligência artificial. 

Entre os diferentes processos a domótica automatiza. A limpeza da casa é talvez das mais evidentes mas também pode estender esta automatização de processos à preparação dos pequenos-almoços, confecção de alimentos ou até dar instruções para que a água do banho comece a ser preparada assim que os proprietários estejam a chegar a casa depois de um dia inteiro de trabalho. 

Ler mais: Cada divisão da casa pode ser uma oportunidade para poupar

Facilidade ou Facilitismo?

De facto, este é um tema que tem levantado alguma questão, para perceber até que ponto a tecnologia pode ajudar as famílias nas tarefas mais simples do quotidiano.

Na generalidade, a domótica tem encontrado pontos de consenso entre quem já a utiliza e quem pretende vir a utilizar estes processos de automatização, uma vez que o fator tempo é hoje em dia das questões mais valorizadas pelas famílias.

Desde electrodomésticos avançados tecnologicamente até poder controlar determinados aparelhos, a verdade é que a domótica está aos poucos a entrar na casa das pessoas e a mudar os seus hábitos. A maior vantagem é realmente a poupança de tempo para realizar outras tarefas.

É seguro?

As questões relacionadas com a segurança e comodidade estão bastante presentes na aplicação da domótica. No entanto, a integração de todos os dados e componentes num mesmo dispositivo e de uma forma totalmente independente vem reforçar elementos mais frágeis, como a privacidade dos seus proprietários. 

A privacidade é sem dúvida um dos temas que a domótica enfrenta atualmente e as empresas do sector estão sempre atentas às mesmas, de forma a terem softwares desenhados para as necessidades do consumidor.

Qual a poupança que se pode ter?

A domótica, para além das facilidades que concede em termos da poupança de tempo, apresenta alguns pontos fortes que a tornam apelativa e atrativa.

Muitos produtos de domótica permitem o controlo e gestão das luzes de casa. As aplicações destes produtos permitem ainda agendar as horas do dia ou da noite em que as mesmas devem estar ligadas, estabelecendo uma hora para que o seu desligamento ocorra. Tal tem direto impato no consumo de energia, o que pode trazer poupança na fatura da luz.

Em relação aos aparelhos, há ainda a possibilidade de ter um comando universal, adequado a todos eles como forma de concentrar num único dispositivo todos os equipamentos com funções de multimédia como TV, computador ou aparelhagem.

Os aparelhos de vigilância da habitação também são uma aposta no setor. Remotamente, os donos da casa podem ter acesso ao interior da habitação através das câmaras de videovigilância.

O investimento é significativo?

O investimento deve sempre ser pensado em relação ao montante que está disposto a gastar e às vantagens que poderá ter na sua vida, em termos de custo e tempo.

Se estiver a pensar em questões relacionadas com a otimização de processos e consumos energéticos, segurança familiar, poupança de tempo, o investimento pode compensar, apesar de ter de gastar algum dinheiro na compra destes aparelhos.

Porém, se a domótica for encarada como um instrumento de lazer, ou como elemento decorativo, então convém repensar se vale a pena investir neste sistema e qual o orçamento que pode alocar ao mesmo.

Existem algumas empresas em Portugal que já trabalham com a domótica, sendo que é uma questão de pesquisar e analisar comparativamente os preços e funcionalidades dos diferentes sistemas. 

Pode ainda consultar alguns sites da especialidade para alargar os seus critérios de análise e ver por quanto pode ficar o investimento.

Resumindo, pense nas várias funcionalidades que a domótica traz e se poderá ser um bom investimento para a sua habitação.

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta