Crédito

Prestações em atraso? Faça as contas aos juros que vai pagar

Ter prestações em atraso implica ter encargos acrescidos. Saiba como são calculados os juros moratórios e evite o incumprimento.

Crédito

Prestações em atraso? Faça as contas aos juros que vai pagar

Ter prestações em atraso implica ter encargos acrescidos. Saiba como são calculados os juros moratórios e evite o incumprimento.

Atrasar-se no pagamento dos seus créditos, vai fazer com que tenha de lidar com juros moratórios. Em momentos de maior fragilidade financeira pode tornar-se uma missão impossível fazer face a todos os encargos. De um dia para o outro, pode ser confrontado com uma quebra de rendimentos ou com um aumento de despesas. 

Se é o seu caso, tem créditos em mãos e, por alguma razão, se atrasou no pagamento nas prestações, saiba que o banco vai exigir o pagamento de juros. De acordo com o Banco de Portugal, perante uma situação de atraso nos pagamentos, a instituição de crédito pode exigir o pagamento de juros moratórios e de outros encargos. “Estes encargos estão limitados a uma comissão única pela recuperação dos valores em dívida e a despesas posteriores à entrada em incumprimento, desde que devidamente documentadas”, indica o supervisor. 

Leia ainda: As suas finanças estão equilibradas? Calcule a sua taxa de esforço

Como se calculam os juros moratórios? 

Os juros moratórios são calculados diariamente sobre o valor da prestação devida e não paga, durante o tempo que durar o incumprimento do cliente. Estes juros a pagar devido ao atraso de pagamento resultam da aplicação de uma sobretaxa anual máxima de 3%, que acresce à taxa de juros remuneratórios: 

Taxa de juros moratórios = Taxa de juros remuneratórios (TAN) + 3% 

De relembrar que a taxa de juros remuneratórios diz respeito à taxa de juro anual nominal (TAN) do empréstimo. Ou seja, são os juros que o banco ou instituição financeira recebe por disponibilizar os fundos.  

Assim, para calcular o valor dos juros que terá de pagar ao banco devido ao atraso no pagamento das prestações, deve fazer a o seguinte cálculo: 

Juros moratórios = Prestação em atraso x (taxa de juros moratórios/360) x n.º dias em mora 

Outros encargos 

Os bancos podem também exigir o pagamento de uma comissão que diga respeito à recuperação dos valores em dívida. Esta comissão só pode ser cobrada uma vez, por cada prestação em atraso, e não pode exceder 4% do valor da prestação. Mas há limites: a comissão pode ter um valor mínimo de 12 euros e um valor máximo de 150 euros. 

Além disso, as instituições financeiras podem também exigir o pagamento das despesas que tenham suportado com terceiros, por conta do cliente, depois da entrada em incumprimento, desde que apresentem documentos para o justificar.  

Imagine o seguinte exemplo: Falhou o pagamento de uma prestação no valor de 350 euros. Para além do valor da prestação em atraso, o banco vai exigir juros moratórios à taxa anual nominal do empréstimo (4%) acrescida da sobretaxa de 3%. Além disso, irá ser-lhe cobrado também uma comissão correspondente a 4% do valor da prestação.

Se conseguir regularizar a situação ao fim de 20 dias, o valor total a pagar será:  

Total a pagar = prestação mensal + juros moratórios (20 dias) + comissão = 350 + (350x 0,07/360 x 20) + (350 x 0,04) = 350 + 1,36 + 14 = 365,36 euros. 

Leia ainda: Sobre-endividamento e incumprimento: quais as diferenças?

Pondere outras alternativas para evitar o incumprimento  

Assim que começar a sentir que o seu orçamento está a ficar apertado para fazer face aos seus encargos, o melhor é começar a analisar outros cenários para evitar entrar em incumprimento.  

Entrei em incumprimento. E agora?
Ler mais

Assim, em primeiro lugar, entre em contacto com o seu banco e tente negociar as condições dos seus créditos. Pode questionar todas as condições ao seu banco: das taxas de juro, spread aos seguros.

Depois de ouvir o seu banco, pode também procurar por outras propostas na concorrência. Se lhe oferecerem melhores condições noutra instituição pode transferir o seu crédito. Use a Calculadora de Transferência de Crédito Habitação do Doutor Finanças e veja qual pode ser a redução dos seus encargos.  

Com esta mudança pode conseguir uma folga orçamental ao final do mês, tornando-se mais fácil pagar a prestação.  

Outra alternativa pode passar pela consolidação dos créditos. Esta opção está disponível para todas as pessoas que tenham mais do que um crédito e que não tenham entrado em incumprimento. Entre automóvel, cartões de crédito, cartões de fidelização e créditos pessoais, quantos créditos tem o seu agregado familiar? A consolidação traduz-se em contrair um crédito que permita pôr fim a todos os outros créditos, ficando apenas com uma única prestação. Na maioria das vezes, conseguem-se condições melhores do que a média de todos os créditos.  

Mais uma vez, é uma opção que irá permitir o alívio dos encargos mensais evitando, assim, que entre em incumprimento.  

Video Thumbnail
ícone do formato do post

Leia ainda: O crédito consolidado não é só para sobreendividados

PARI e PERSI: o que são e como funcionam?   

As instituições financeiras têm alguns planos de ação para ajudar a evitar situações de incumprimento, tendo o dever de reavaliar as situações dos seus clientes.  

Nos casos em que o cliente está com dificuldades, mas ainda está a conseguir cumprir com os pagamentos, é possível apresentar um Plano de Ação para o Risco de Incumprimento (PARI). Este é um instrumento que está disponível para clientes em situações que antecedem a entrada em incumprimento.  

Se já se encontrar em falta com o pagamento efetivo das prestações, existe outro instrumento: o Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento (PERSI). Este último instrumento destina-se a encontrar uma solução para que o cliente cumpra com os pagamentos e se evite um processo judicial.  

Leia ainda: Não consigo pagar o crédito. E agora?

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #crédito,
  • #incumprimento,
  • #juros de mora,
  • #juros moratórios
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Um comentário em “Prestações em atraso? Faça as contas aos juros que vai pagar
Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.