Já a começar o segundo semestre, é tempo de planear as despesas que irá ter. A Dica do Doutor sugere-lhe um orçamento familiar para o segundo semestre.

Com a chegada do mês de Junho, já se faz sentir o espírito de férias. Aproveitar os dias de descanso para rumar a algum sítio, não trabalhar e aproveitar o tempo em família. Contudo, até mesmo o período de descanso é um tempo de gastos, sendo que acabamos por consumir mais durante as férias. Ao estarmos mais livres, temos mais disponíveis para consumos que não fazemos durante o ano, como revistas, refeições fora, pequenas compras. 

O subsídio de férias dá uma ajuda para ter algum rendimento para umas férias bem passadas. Porém, não podemos esquecer que após este período, seguem-se meses com outros gastos: o regresso às aulas, a manutenção do carro, os pagamentos de cartão de crédito, a poupança para os últimos meses de festividades. 

A Dica do Doutor sugere um Orçamento Familiar 2º Semestre para começar a poupar para os gastos futuros. 

Neste orçamento familiar deve ter em conta os rendimentos mensais, os subsídios extra, os gastos a ter nas férias, o orçamento para o Regresso Às Aulas e outros.  

Ler mais: Se está a marcar as férias, faça um plano e comece já a poupar

Deixamos a nossa sugestão para preparar o próximo semestre. 

Junho – poupança 

O bom tempo começa a vir, mas ainda pode faltar mais de um mês para as férias. Comece a planear desde já a poupança para as férias para ter o maior rendimento possível. É importante também proteger-se com a compra de protetores solares para durante o dia. 

Julho – poupança e saldos 

Se vai viajar no próximo mês, aproveite algumas promoções para comprar vestuário de viagem ou até mesmo compras para a casa.  

Se vai para o estrangeiro e terá de incluir a toma de algumas vacinas, contemple os custos associados no orçamento familiar. 

Agosto – férias orçamentadas e poupança para Regresso às aulas 

Para muitas famílias, o mês de Agosto é um mês mais parado, mas nem por isso com menos gastos. É neste momento que utiliza a poupança feita nos meses anteriores para desfrutar dos bons momentos. Deve ainda pensar que, quando regressar de férias, ter algum dinheiro de parte para as primeiras compras escolares.  

Desta forma, evitará o excessivo uso do cartão de crédito ou o pedido de um crédito pessoal, que terá mais peso no seu orçamento familiar no longo prazo. 

Setembro – Regresso às Aulas e preparação dos gastos rotineiros 

Com a entrada na rotina, há que manter o foco em manter os bons hábitos: cumprir os encargos financeiros, poupar para o fundo de emergência.

Veja no artigo «Regresso às aulas: um guia prático para poupar mais» algumas dicas para poupar.

Outubro e Novembro – reavaliar gastos 

Nestes meses, deve aproveitar para rever alguns dos seus contratos para poder ter mais poupança. Se estiver sempre a olhar para o seu orçamento como despesas a cumprir, esquece-se que poderá renegociar os termos de alguns encargos para pagar menos. 

Deixou de utilizar um produto de telecomunicações? Fale com a operadora para renegociar o seu pacote. O seu seguro pode ter ficado mais caro? Veja outras opções e adapte as coberturas. A sua prestação de crédito habitação está a aumentar e poderá rever o seu spread? Considere transferir o seu crédito habitação. 

Durante todo o ano, nunca é cedo para rever os seus gastos e adaptá-los.  

Dezembro – utilizar o subsídio de Natal para poupar, gastar e investir 

Como falámos o ano passado, tenha em vista que poderá utilizar o subsídio de Natal para vários fins. Acreditamos que a boa gestão do dinheiro parte em perceber que com ele devemos poupar, gastar conscientemente e investir uma parte para um futuro financeiro mais confortável.  

Para o segundo semestre do ano, a Dica do Doutor sugere que olhe para a sua vida financeira como um todo.

Os encargos que tem hoje não têm de ser pagos assim para sempre. Baixe os seus custos renegociando contratos; aproveite o bom momento económico para consolidar créditos e pagar menos de juro pela mesma dívida; e poupe todos os meses para o seu futuro financeiro.