Finanças pessoais

6 ferramentas essenciais para gerir as suas finanças pessoais

Para gerir as suas finanças pessoais, utilize as ferramentas certas regularmente. Conheça 6 ferramentas essenciais neste artigo.

Rita Amaral Rita Amaral , 30 Setembro 2019

Para poder começar a ter uma vida financeira mais saudável, deve saber para onde vai o seu dinheiro. A gestão das finanças pessoais ajuda-o assim a planear a poupança ao longo do ano, se tiver as ferramentas certas. 

No Doutor Finanças recebemos pedidos de ajuda para as pessoas poderem consolidar os seus créditos ou baixar a prestação do crédito habitação. Estas medidas servem para ter menos despesas, poupar mais dinheiro para ter uma vida financeira saudável sem estar constantemente «sufocado» com dívidas e contas para pagar. 

Para poder ter uma vida financeira saudável há que gerir bem o que ganha e o que gasta, ou seja, tem de saber para onde vai o seu dinheiro. Assim, damos-lhe as principais ferramentas que deve ter para poder saber exatamente para onde vai o seu dinheiro. 

Orçamento familiar – folha de excel 

Para começar não precisa de complicar. Pode abrir uma folha de excel e colocar uma linha por despesa. Pode colocar a despesa, o valor, a data da mesma. Ao depois fazer somas, vai perceber quanto dinheiro gastou num período de tempo. 

Se preferir utilizar papel e caneta, pode usar agendas específicas ou um bloco de notas com folhas para cada mês. O importante é que comece a registar tudo o que ganha e que gasta, para saber para onde vai o dinheiro.  

Ganhos – calcular o salário líquido 

Geralmente o salário é o principal rendimento de um agregado familiar. Quer se trabalhe para o Estado ou por conta de outrem, aquilo que conta não é o salário bruto, mas sim o salário líquido que se recebe. Isto, para saber quanto dinheiro tem disponível para gastar, deve primeiro saber quanto dinheiro vai ter disponível na conta bancária. 

Utilize a Calculadora de Salário Líquido 2019 para saber com quanto pode contar mensalmente durante este ano. Sugerimos que faça sempre este cálculo quando recebe uma proposta de emprego ou sempre que as tabelas de IRS e/ou Segurança Social sejam atualizadas. 

Deve também consultar o recibo de vencimento para perceber se os valores batem certo todos os meses. Não é uma questão de duvidar da entidade patronal, mas sim ter a certeza de que os valores coincidem todos os meses. 

Extrato bancário / homebanking 

Para registar os gastos, por vezes reunimos os papéis que guardamos e apontamos, mas quantas vezes deitamos o papel fora? Com os pagamentos com cartão, é sempre possível saber que compras fez. Se tiver a aplicação móvel ou o homebanking do seu banco, pode consultar o extrato bancário para verificar se está a contemplar todas as despesas. É importante verificar o mesmo quando tem pagamentos de débito direto, assim sabe o saldo disponível a cada dia do mês. 

Portal das Finanças 

Toda a informação que possa ter a ver com encargos fiscais estão registados no Portal das Finanças.

Deve visitar o Portal das Finanças sempre que tenha dúvidas. Este portal é atualizado regularmente para permitir aos utilizadores ter acesso a cada vez mais informação relevante. O e-fatura é também importante para validação de faturas para a altura do IRS. Pode ainda reduzir visitas a um balcão das Finanças se perceber como funciona o portal para encontrar a informação que deseja. 

Ler mais: 5 conselhos Doutor Finanças para declarações de IRS complexas

Portal da Segurança Social 

O Portal da Segurança Social Direta é igualmente importante para gerir as suas contribuições e benefícios. Deve consultá-lo regularmente para perceber se as contribuições estão a ser bem feitas. Estas contribuições são importantes se ficar em situação de desemprego ou de doença.

Contratos de serviços 

Não tanto a ver com as despesas e gastos que tem, deve ainda assim ter uma pasta com todos os contratos assinados de serviços (seguros, telecomunicações, cartão de crédito, entre outros).

Estes documentos devem ser consultados para perceber quais os seus direitos e deveres. São úteis quando sentir que a outra parte não está a cumprir o contrato ou, em caso de querer rescindir o contrato, quais os seus deveres perante a outra entidade. Desta forma, evita situações mais desagradáveis por falta de conhecimento, que geralmente não serve «de desculpa» em possíveis renegociações.  

A nossa última sugestão vai para sempre procurar o conhecimento.

Avalie os seus contratos, informe-se o que pode fazer para evitar situações de risco. Se chegar a situações de incumprimento com entidades bancárias ou financeiras, poderá não conseguir renegociar. Deve assim precaver-se destas situações vigiando religiosamente as suas finanças, sabendo exatamente para onde está a ir o seu dinheiro e se há algum encargo financeiro por pagar.  

Qualquer decisão que tome que envolva a sua vida financeira ou obrigações fiscais, não dispense de consultar as entidades competentes. Pode também consultar os artigos do Doutor Finanças ou entrar em contacto diretamente com a nossa equipa, que um consultor especializado irá esclarecer as suas dúvidas.  

Ler mais artigos sobre o tema:

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #finanças pessoais,
  • #segurança social direta

Deixar uma resposta

Um comentário em “6 ferramentas essenciais para gerir as suas finanças pessoais