Orçamento Familiar

O Doutor Finanças revela as tendências dos portugueses para este Natal

O Natal está aí à porta e esta época tem tanto de mágica como de dispendiosa. Neste artigo o Doutor Finanças revela as intenções de consumo dos portugueses e deixa alguns conselhos.

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 9 Dezembro 2019

Com a chegada do Natal, chega também a preocupação com os presentes e com todos os outros gastos associados a esta quadra natalícia. O Doutor Finanças saiu à rua para perceber quanto é que os portugueses pensam gastar este Natal e como tencionam fazer frente a esses gastos. Ora veja:  

Agora que já sabemos as respostas dos portugueses, vamos nós, Doutor Finanças, dar as respostas e deixar algumas dicas fundamentais para poupar neste Natal e não só.

Quanto é que os portugueses pensam gastar neste Natal?  

Pelo que podemos verificar existe um aumento nas intenções de gastos dos portugueses com presentes, como também a fatia económica que reservam para tal. 

De acordo com o Estudo de Natal 2019 da Deloitte: "Os portugueses esperam gastar em média 387€ por agregado familiar em compras de Natal este ano, mais 9€ que em 2018 Apesar deste aumento, a média nacional encontra-se ainda longe da europeia, que este ano se fixa nos 461€, o equivalente a mais 74€ que o expectável para o mercado português"e. 

Os portugueses mantêm a intenção de oferecer, em média, um presente por pessoa, planeando gastar cerca de 38€ por cada pessoa, o que representa uma subida significativa face a 2018 (29€). 

Os portugueses tencionam utilizar cartões de crédito nesta quadra natalícia? 

Na hora de pagar, os portugueses veem o cartão de crédito como uma solução rápida e indolor, esquecendo-se que a «dor» pode vir nos meses seguintes, em que uma boa percentagem do seu orçamento familiar será para pagar a dívida e os juros associados.  

Este ano, em média, e segundo apontam alguns estudos, 42% dos portugueses afirmam ter cartão de crédito, face aos 37% do ano passado. 59% dos que têm cartão tencionam utilizá-lo no Natal, mas gastando menos do que em 2018.  

Se escolher utilizar o cartão de crédito, pois não tem liquidez, relembramos que terá de ter essa mesma liquidez no próximo mês. É fundamental ter por princípio uma adoção de controlo de despesas e ter sempre em atenção que deve pagar a dívida acumulada até ao final do período de isenção de juros. 

Por exemplo, se utilizar 200€ em cartão de crédito e só pagar uma parte este mês, lembre-se que mais tarde terá de pagar a dívida. Assim, terá de sempre garantir a liquidez a longo prazo para não poder pagar juros associados. Se utilizar o pagamento faseados, irá pagar mais com os juros e poderá estar a criar uma situação de sobre-endividamento se não for bem acautelada com outros rendimentos e poupanças e ficar sufocado pelo seu próprio cartão de crédito.  

Leia ainda: Cartão de crédito: amigo ou inimigo da poupança  

Como melhorar a saúde financeira dos portugueses?

A doença financeira pode afetar a carteira de muitas famílias portuguesas. Para ter uma boa saúde financeira, deve programar e controlar um orçamento familiar equilibrado, em que se gasta menos do que aquilo que se ganha, poupar uma parte do orçamento para um fundo de emergência e ainda assim ter um bom nível de vida. 

Em suma, aconselhamos a que faça um check-up financeiro à sua carteira com base em 5 dicas:  

  • Controle os seus gastos e receitas – Anotar os gastos é sempre uma das dicas mais aconselhadas quando o tema é poupar. Caso não lhe pareça prático anotar relembramos que, hoje em dia, são muitas as aplicações que fazem o trabalho por si. Uma das aplicações que aconselhamos para gerir as suas finanças pessoais é o Boonzi.  
  • Defina objetivos financeiros - Pare uns instantes para refletir sobre os seus propósitos de vida e para pensar qual o objetivo que gostaria de alcançar. É importante que seja realista quando estiver a definir o seu objetivo, o valor que quer poupar todos os meses e em quanto tempo pretende fazê-lo. 
  • Analise todos os seus seguros - Ano novo, apólices novas. Aproveite o início do ano para rever todas as apólices dos seus seguros e para verificar quais aqueles que já não necessita. Sejam eles seguros de vida, do carro, da casa ou até mesmo multirriscos. 
  • Consolide os seus créditos (se for o caso) - Para quem tem vários créditos, um bom objetivo para poupar em 2019 seria consolidá-los todos num só. As suas prestações mensais podem reduzir-se em até 60% e, em vez de várias prestações aleatórias, passa a pagar uma única (e mais baixa). 
  • Reveja o seu crédito habitação (se for o caso) - Para quem tem um crédito habitação, poderá transferir este em qualquer altura, após os 2 primeiros anos de contrato. Este pode ser o ponto de viragem para começar a poupar muito dinheiro em 2020. Ao aproveitar o dinamismo do mercado, pode vir a conseguir poupanças na ordem dos 1.000€/anuais sem grande esforço. 

E qual a dica de poupança para o próximo Natal dos portugueses?

No vídeo do Doutor Finanças podemos verificar que a maioria dos portugueses acreditam que o segredo está em poupar ao longo do ano para conseguir ter orçamento para fazer frente às despesas da quadra natalícia.

O Doutor Finanças, para além de estar totalmente de acordo com os portugueses, que devem poupar todos os meses, aconselha ainda a gerir o seu orçamento familiar e a planear as suas despesas. Em situações como estas de maior consumo ou de imprevisto, utilize primeiramente as suas poupanças antes de contrair um crédito e compare as várias opções que tem de financiamento, não esquecendo da sua capacidade para pagar compromissos atuais e futuros.    

Contudo, acreditamos que o melhor presente que pode dar é o seu tempo e disponibilidade para passar com quem gosta.  

Leia ainda: Este Natal, ofereça o seu tempo: descarregue os seus vales do tempo 

Siga estes conselhos e garanta uma época natalícia rica em momentos felizes. 🙂

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #Natal 2019,
  • #poupar no natal,
  • #poupar nos presentes

Deixar uma resposta

Um comentário em “O Doutor Finanças revela as tendências dos portugueses para este Natal