Literacia financeira

6 dicas para gerir os sonhos e desejos das crianças

Nem sempre é fácil gerir os sonhos e os desejos das crianças em sua casa? Conheça algumas dicas para colocar em prática e mudar esta situação

Literacia financeira

6 dicas para gerir os sonhos e desejos das crianças

Nem sempre é fácil gerir os sonhos e os desejos das crianças em sua casa? Conheça algumas dicas para colocar em prática e mudar esta situação

Gerir os sonhos e desejos das crianças nem sempre é uma tarefa fácil. Por um lado, as crianças não limitam os seus sonhos. Em tenra idade, uma criança não vê impossíveis. Tudo é alcançável. E enquanto pais, há uma dúvida constante entre o dever de puxar a criança para a realidade e o de não limitar os sonhos e a sua capacidade de sonhar.

No entanto, muitas vezes, as crianças confundem sonhos com desejos, dado que os conceitos ainda não estão bem definidos. Mas cabe aos pais explicar que uma coisa é um sonho que pode virar um objetivo alcançável, com a criação de uma estratégia. Outra é um sonho que não é mais do que um desejo momentâneo ou um capricho. E mesmo que não seja momentâneo, as crianças precisam de entender que não basta desejar para ter.

Assim, é percetível que as crianças precisam de ferramentas para gerir os sonhos e os desejos. Contudo, também é necessário preparar um filho para lidar com certas frustrações, de forma a ele dar a volta e encontrar soluções. E caso não saiba por onde começar este tipo de aprendizagem, as próximas dicas podem ajudá-lo com esta tarefa.

Leia ainda: 9 conceitos de finanças pessoais para crianças

1 - A escuta ativa é essencial para gerir os sonhos e desejos das crianças

Se tem filhos pequenos sabe melhor do que ninguém que as crianças mostram vários interesses, e muitas vezes em áreas e temáticas opostas. E quando se expressam não o fazem como os adultos, que costumam ponderar o discurso, filtrando as informações que passam aos outros. Aliás, não é por acaso que se diz que as crianças não têm filtros.

Mas quando as crianças começam a demonstrar os seus sonhos e desejos, é normal que estes não sejam totalmente realistas. E, por isso, pode haver uma tendência inicial para responder aos mais novos que isso não é possível. E embora em alguns casos até seja verdade, primeiro deve escutar ativamente o que o seu filho tem a dizer. Muitas vezes, a mensagem que o seu filho quer passar está nas entrelinhas.

Lembre-se que é ótimo o seu filho ter a capacidade de sonhar alto e conseguir expressar os seus sonhos sem medo. Afinal, se o seu filho não sentir esse incentivo ou encontrar inúmeros obstáculos ao expressar-se, pode desenvolver algum receio a expressar-se, perde algum entusiasmo com coisas que gosta ou até afetar a sua autoestima.

Quanto mais espaço der para ele explorar a sua imaginação e expressar-se, maior será a sua capacidade de explorar e abrir novos caminhos. E enquanto escuta ativamente o que ele tem a dizer, pode perceber melhor quais as ferramentas que ele precisa e como pode ajudá-lo a alcançar os seus sonhos e desejos.

Criança a fazer construções com legos no seu quarto com a avó

2 - Dê ao seu filho ferramentas para aproximar os sonhos da realidade

Ao longo da vida, quantas vezes ouviu a pergunta "o que é que queres ser?". Provavelmente muitas. E talvez nem saiba qual foi a primeira vez que ouviu esta questão. Afinal, desde muito cedo que esta pergunta é colocada por pais, adultos ou até outras crianças. E é normal que ao longo da vida esta resposta mude várias vezes, pois os sonhos também se alteram com o passar do tempo.

Para gerir os sonhos e desejos das crianças de uma forma leve e construtiva, enquanto educador, deve tentar ao máximo disponibilizar as ferramentas necessárias para aproximar os sonhos da realidade.

Por exemplo, se tem um filho que gosta muito de animais, ele poderá dizer que quer ser veterinário. Para ajudá-lo a ter experiências relacionadas com este sonho, leve-o a uma quinta pedagógica. Desta forma ele poderá interagir com os animais, perceber como estes se comportam e como é que os profissionais cuidam deles. Se tiver animais de estimação, atribua-lhe pequenas tarefas e leve-o consigo nas consultas de rotina do seu animal de estimação.

Assim, ajuda o seu filho a perceber se o entusiasmo se mantém após pequenas aprendizagens e experiências. Lembre-se que os elogios e incentivos são muito importantes nas pequenas conquistas. Contudo, saiba que o seu filho pode deixar esse sonho de parte a dada altura e mostrar novos interesses.

Nesta fase é muito importante que demonstre compreensão. No entanto, explique-lhe que se ele quer realmente alcançar certos sonhos, precisa de focar-se neles. Claro que primeiro tem de descobrir o que gosta e o que o faz feliz. E isso leva tempo. Mas assim que descobre é necessário traçar um plano, ser persistente e, por vezes, estar disposto a fazer certos sacrifícios.

Leia ainda: 5 tarefas que podem criar bons hábitos financeiros nas crianças

3 - Ajude-o a estabelecer metas para alcançar os sonhos

Sonhar é um excelente ponto de partida para alcançar algo. Mas na realidade, sonhar só não chega. Para alcançarmos os nossos sonhos precisamos de passar à prática. E a forma mais eficaz é traçar metas, por mais pequenas que sejam, que nos aproximem dos sonhos.

E neste aspeto, pode passar este ensinamento em vários tipos de objetivos, como a compra de algo que o seu filho quer até à realização de um sonho profissional.

Por exemplo, se o seu filho quiser uma bicicleta ou algo com um valor mais significativo, pode incentivá-lo a poupar para alcançar esse objetivo. Caso ele receba a semanada ou mesada, incentive-o a colocar um valor de parte num mealheiro. No entanto, deixe a gestão desse dinheiro a cargo da criança.

Mas antes de passar esta responsabilidade, explique que para alcançar mais rápido esse objetivo, ele terá de fazer escolhas de acordo com as suas prioridades. Ou seja, se ele gastar todos os dias dinheiro em doces ou outras pequenas coisas, terá mais dificuldade em poupar o valor que precisa para o que quer comprar.

Se te um filho mais velho, é normal que surjam outros tipos de sonhos e desejos. Imagine que tem um filho que sonha em ser um jogador profissional de videojogos. Embora não seja a profissão mais comum do mundo, existem cada vez mais jogadores profissionais de videojogos portugueses.

No entanto, não basta jogar várias horas em casa. Esta é uma profissão que exige disciplina, cumprir horários e as estratégias do treinador, participar em campeonatos, fazer investimentos, etc.

E se ele quer seguir esta profissão, precisa de traçar micro objetivos que o levem até ao grande objetivo final (ser um jogador profissional). Por exemplo, pode ajudá-lo a traçar metas sobre o aperfeiçoamento das suas capacidades ou onde precisa de investir. Sempre que compre um micro objetivo deve passar a outro, e assim sucessivamente.

Leia ainda: SMART: Um método para definir objetivos alcançáveis

4 - Apoiar e gerir os sonhos e desejos das crianças não é ceder a caprichos

Ajudar na gestão dos sonhos e desejos das crianças é um papel muito importante dos educadores. No entanto, na hora de auxiliar os mais novos, deve explicar, através de exemplos práticos, que uma coisa são sonhos, outra são caprichos.

Por exemplo, querer uma consola de videojogos e criar uma poupança que permita a longo prazo essa compra, não tem nada de errado. Pelo contrário. As compras de valor elevado, chamadas de luxos, fazem parte da nossa vida. No entanto, é preciso saber que estas não são prioritárias, não devem ser feitas por impulso, requerem ponderação e preparação financeira.

Se passar estes valores ao seu filho, ele saberá lidar com os seus desejos e preparar-se para alcançá-los. E isto pode prevenir comportamentos mais consumistas em adulto, e até evitar pedir créditos ao consumo em certas situações. Assim, desde pequeno reforça a necessidade de poupar para certos objetivos.

Contudo, é importante não incentivar a aplicação do dinheiro em caprichos ou em compras meramente consumistas. Por exemplo, se o seu filho a semana passada comprou um brinquedo novo e já quer outro idêntico, deve explicar que essa gestão é perigosa. Afinal, estes desejos momentâneos implicam dinheiro. E este não cresce nas árvores.  

Mas para que ele perceba melhor, dê exemplos concretos e faça perguntas. Ou seja, pode perguntar-lhe o porquê de ele querer mais um brinquedo, quando recentemente comprou um. Explique-lhe que os pais atribuem uma mesada ou semana com o ordenado. E este é um pagamento pelo trabalho que fazem todos os dias.  

Assim, a semanada ou mesada deve ser usada ponderadamente. Caso contrário, poderá ficar sem dinheiro para comer por ter comprado um brinquedo só por capricho. 

5 - Reforce os ensinamentos de literacia financeira para melhorar a gestão a longo prazo

balões em festa de crianças 2

Melhorar a literacia financeira da família é essencial para gerir os sonhos e desejos das crianças, mas também de todos os membros do seu agregado familiar. Afinal, a temática do dinheiro acompanha-nos ao longo da vida. E quanto maior for a capacidade de comunicação e conhecimento sobre finanças pessoais, melhor será a gestão financeira de todos os membros, e consequentemente aumentará a capacidade para alcançarem objetivos.

Caso pretenda melhorar a educação financeira, opte por uma abordagem leve, que permita uma participação ativa de todos os elementos e a criação de novos hábitos. Não se esqueça que é fundamental implementar alguns conceitos básicos, como:

Ao dominar estes conceitos, estará mais habilitado para ajudar os seus filhos a gerirem melhor os seus sonhos, os seus desejos e as suas finanças. Por outro lado, nesta fase, as crianças e jovens têm uma excelente capacidade de absorver novos conhecimentos, e por isso mesmo é uma ótima fase para introduzir o tema da literacia financeira infantil. Este investimento pode mudar o futuro dos mais pequenos, mas também de todos os membros da família.

6 - Gerir sonhos e desejos das crianças implica dar o exemplo

Por último, não se esqueça que o processo de aprendizagem das crianças baseia-se na imitação do comportamento dos adultos. E, por isso, manter a coerência entre o que ensina e o que pratica diariamente é fundamental. Caso contrário, além dos seus filhos terem a probabilidade de ficar confusos, poderão não levar a sério os seus ensinamentos.

No fundo, o seu comportamento serve de exemplo para os seus filhos. Tenha isso em consideração na hora de passar os conhecimentos e valores que pretende.

Leia ainda: A importância de ensinar os mais novos a lidar com dinheiro

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.