Finanças pessoais

10 coisas que não deve fazer se quiser poupar

Acha que poupar é uma missão impossível? Chega ao fim do mês e não lhe sobra nem um cêntimo? Descubra neste artigo o que pode estar a dificultar a sua poupança.

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 12 Outubro 2020 | 1 Comentários

Já todos ouvimos falar em poupança e temos ideia do que se trata. Contudo, nem sempre conseguimos ou sabemos como fazer uma.  

Na realidade, é muito comum o pensamento de que uma poupança é colocar aquele dinheirinho que sobra ao final do mês de lado (e apenas quando sobra). E não é que não o possa ser também, mas, a verdade é que a poupança é bem mais do que isso. A poupança pode ser obtida através de vários hábitos que direta ou indiretamente, convertem-se em dinheiro. 

Hábitos esses que tanto podem ser positivos como negativos e dificultar o processo. E é a pensar neles, que muitas vezes parecem apenas detalhes, mas que fazem toda a diferença, que lhe trouxemos 10 coisas que não deve fazer se quiser poupar.  

Leia ainda: Poupança – o que é e para que serve?

1. Não fazer um planeamento financeiro 

Fazer um orçamento familiar todos os meses é o primeiro passo para conseguir planear o destino do seu dinheiro. Se considera que fazer um orçamento vai limitar a sua liberdade financeira, é exatamente contrário. Fazer um planeamento financeiro vai ajudá-lo a ter um controlo total das suas finanças, sabendo realmente todo o dinheiro que entra e sai da sua conta (receitas e despesas). 

É com base neste registo que vai conseguir poupar e preparar-se para qualquer imprevisto que possa surgir no futuro. Vai conseguir ainda perceber se está no caminho financeiro certo ou, se pelo contrário, precisa de ajustar alguns pontos para atingir os seus objetivos.  

Um erro comum é considerar que a poupança deve ser feita com o dinheiro que sobra ao final do mês. Segundo o Doutor Finanças, uma das regras fundamentais é “pagar-se a si próprio em primeiro lugar”. Isto é, deve encarar a poupança como um pagamento que faz a si próprio. Por mais pequena que seja, assim que receber o seu ordenado, coloque uma quantia de parte todos os meses.

Leia ainda: Dicas de Poupança: A importância de fazer um orçamento 

2. Não ter um seguro de saúde de saúde 

doutor a auscultar paciente

Poupar é efetivamente cortar em despesas desnecessárias, mas não é o caso dos seguros. São muitos os portugueses que optam por cortar em determinados serviços para conseguir poupar dinheiro. Mas cortar no seguro de saúde, no final de contas, pode sair sai muito mais caro do que a mensalidade que pagaria à seguradora.  

Até porque a saúde é o bem mais importante e o pilar para conseguir trabalhar, ter dinheiro e gerir a sua vida financeira.  

Leia ainda: Como poupar no seguro de saúde ao longo da vida 

3. Fazer compras por impulso 

Certamente já foi ao supermercado e acabou por trazer mais do que aquilo que precisava, certo? Ou já foi dar uma voltinha pelo centro comercial e acabou por trazer uma coisinha ou outra que não precisava? São estes “pequenos” gastos, que muitas vezes parecem mínimos e inofensivos, que estão a levá-lo a gastar mais ao fim do mês.  

E tudo isso porque estava em promoção, porque não fez uma lista ou porque não definiu as suas necessidades e prioridades.  

A única forma de poupar dinheiro onde deve aproveitar nos saldos e nas promoções é se estiver a comprar algo de que realmente precisa. No entanto, até nestes casos deve ter atenção. Verifique sempre se está a comprar um produto apenas porque está em promoção, mas que é de qualidade inferior ao que pretendia. Com o tempo, o dinheiro que pode vir a gastar em reparações, pode não compensar.  

Leia ainda: 5 dicas para evitar compras por impulso 

4. Apostar em eletrodomésticos pouco eficientes  

Na hora de comprar novos eletrodomésticos optar sempre por aqueles que são mais baratos, pode não ser a opção mais vantajosa. 

Ao optar por um aparelho mais barato, mas menos eficiente, vai acabar por pagar a diferença na fatura da luz e da água.  

Por isso, mesmo que pague um pouco mais por um equipamento mais eficiente, pense que esse investimento será mais tarde recuperado na redução do consumo energético. 

Leia ainda: Eletrodomésticos mais eficientes e fáceis de reparar em 2021: Quanto pode poupar? 

5. Pagar sempre com cartão

pagamento Cartão de crédito multibanco

Sabe aquele ditado popular “o que os olhos não vêm, o coração não sente”? Pois o mesmo acontece se utilizar o cartão de débito/multibanco para todas as suas compras. Como não está a visualizar o dinheiro, custa-lhe menos e acaba por fazer gastos desnecessários que não estava a contar. Enquanto se levar dinheiro físico, tem a vantagem de não ultrapassar o seu orçamento porque só pode gastar aquele montante que tem na carteira.   

Para além disso, o cartão de multibanco leva a que muitas vezes não tenha noção do valor final que vai pagar. E, se tiver uma conta com um descoberto associado, pode ficar com um saldo negativo, o que implicará suporte de juros sobre o montante utilizado a descoberto no final do mês. 

Leia ainda: Posso fazer um crédito para pagar outros? Quais os custos? 

6. Não investir parte da poupança 

Poupança gera poupança. E como? Colocando parte dela a render através de produtos de investimento. Soluções como: certificados de aforro, seguros de capitalização ou PPR’s (Plano Poupança Reforma), são soluções de baixo risco, que podem rentabilizar o seu dinheiro.  

Contudo, e primeiro do que tudo, já deve ter uma poupança constituída e acessível para o caso de precisar para algum imprevisto. No fundo, o dinheiro que investir deve ser visto como um “extra” que pode dar frutos ou não.  

Depois deve analisar (e bem) as opções existentes e perceber qual a percentagem das suas poupanças que pretende investir, uma vez que é importante nunca investir todo o seu dinheiro para não comprometer as suas finanças.   

Leia ainda: Investimentos: o que são e o que deve ser tido em conta? 

7. Descurar dos cuidados com o seu automóvel  

À semelhança do que falámos no seguro de saúde, a manutenção do automóvel é outro ponto que não deve descurar. Procurar poupar dinheiro na sua manutenção ou até mesmo no seu seguro automóvel, pode trazer muitos dissabores. As consequências de não fazer uma revisão ou de esperar mais algum tempo para mudar uma determinada peça, pode levá-lo a gastar muito, mas muito mais dinheiro com o veículo.  

Leia ainda: Como poupar na reparação do carro 

8. Não fazer revisão dos gastos da casa  

Quanto dinheiro gasta em coisas que não utiliza? Como é o caso, por exemplo, dos serviços de streaming - seja de filmes, séries ou música -, do ginásio, de algumas coberturas de seguros e serviços de mobilidade partilhada. 

Já os serviços como a água, a eletricidade, o gás e telecomunicações, que são despesas tidas como fixas e essenciais, pode sempre tentar renegociá-las.  

Definir o essencial e o dispensável é fundamental. Assim que conseguir identificar onde está a gastar o seu dinheiro, vai ser mais fácil livrar-se de despesas desnecessárias e conseguir ver logo os resultados dessa poupança logo no mês seguinte.  

E quando falamos nos gastos com a casa, falamos também no empréstimo da casa. Sabe se o seu contrato coincide com o que é praticado atualmente no mercado? Reveja as condições do seu crédito habitação e tenha, possivelmente, uma agradável surpresa com o que pode poupar.   

Leia ainda: Nesta quarentena, reveja os seus encargos financeiros e saiba como pode poupar mais 

9. Deixar a poupança sempre para depois  

homem a marcar no calendário finanças pessoais

Independente da sua situação atual, por muito que se fale em poupança e como pode ser feita, na hora H o maior inimigo é muitas vezes a inércia. Pensar que logo poupa ou que depois aproveita o subsídio de férias para fazer face a determinada situação, nunca é boa ideia. No final, vai arranjar sempre um destino “mais urgente” para esse dinheiro.  

Por isso, por pouco que seja, comece a poupar já hoje para concretizar os sonhos no futuro.  

Leia ainda. Alcançar sonhos exige sacrifícios 

10.Não aplicar a automatização da poupança 

Considera que poupar é mesmo uma tarefa complicada? Então talvez seja importante considerar a poupança automática. Agende transferências automáticas no início do mês da sua conta à ordem para outra conta destinada ao aforro (é possível fazê-lo através do seu homebanking).  

Desta forma vai garantir que poupa todos os meses e cria um pé de meia para despesas futuras. 

Leia ainda: Como conseguir uma poupança para fazer face a despesas de 6 meses?

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #como melhorar hábitos de poupança,
  • #dicas para poupar,
  • #hábitos de consumo,
  • #poupança
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

2 comentários em “10 coisas que não deve fazer se quiser poupar

  1. A modalidade de pagar a dinheiro para ter a noção do que gasto, tenho sempre feito. Pelo menos para pequenas compras. Assim também vou consultando mais vezes o saldo da conta, em cada levantamento.